Daemon
Ficção / 18 de maio de 2017

Você já parou para pensar aonde a nossa tecnologia, e a rapidez com que ela avança, irá nos levar? À medida que cresce o alcance da internet e os usos da tecnologia, cada vez mais parece que não existe nada que a gente não possa fazer. Já é possível fazer praticamente tudo dentro de casa funcionar remotamente, buscar qualquer tipo de informação em um clique e contar com carros cada vez mais automatizados. Poucas são as atividades, hoje, que dispensam totalmente o uso da tecnologia moderna. Tudo está conectado e a sociedade parece estar cada vez mais dependente dessa tecnologia. E é justamente nesse ponto que Daniel Suarez ataca, trazendo todas essas ideias juntas de uma forma muito plausível. Com um vasto conhecimento tecnológico, dos usos do computador à internet e os jogos, Suarez cria em Daemon um thriller tecnológico rebuscado, com um cenário plausível sobre um agente de software capaz de criar uma nova ordem mundial. O Daemon não é só um verme da internet ou um explorador de redes. Ele não hackeia sistemas. Ele hackeia a sociedade. Daemon é daqueles livros que já começam acelerados, prende o leitor logo de cara deixando um gostinho de quero mais que torna impossível não ler as próximas páginas. E tudo…

Espíritos de Gelo
Ficção / 13 de novembro de 2011

Essa resenha começa com uma terrível confissão: eu não li nenhum livro da série Dragões de Éter (série campeã de vendas do mesmo autor de Espíritos de Gelo). Por isso mesmo, não esperem aqui um comparação entre estilos. Apesar de conhecer a obra e ouvir muito o Raphael falar sobre ela, nada substitui a leitura. Então, apesar de saber que a série e Espíritos de Gelo são obras de estilos diferentes, “ignorarei” a escrita pregressa do autor, e focarei apenas na nova obra. Ando afastado dos lançamentos literários, o que reflete na pequena quantidade de resenhas que tenho feito ultimamente – e que os leitores mais fiéis devem ter notado. A Editora tem me tomado tempo excessivo, e com isso, cai meu número de resenhas. Mas aproveitando o vácuo no estande gerado nos dias de visitação das escolas à Bienal do Livro do Rio desse ano, pude tirar algumas horas para ler Espíritos de Gelo. O livro foi lançado em Portugal em maio desse ano, parte de uma nova coleção intitulada “Mitos Urbanos”, desenvolvido pela editora portuguesa GaiLivros. A proposta da editora é montar uma série de terror inspirada em lendas urbanas, com livros e preços populares (7.90 euros) e com um…

Perfeitos
Ficção / 31 de janeiro de 2011

Viu como o tempo passa rápido. Reclamei em maio, na minha resenha de Feios, que “o pior é ter que esperar a continuação do livro”. Pois aqui está ela. E nem doeu tanto esperar. E quem leu a minha resenha, sabe que eu me empolguei bastante com Feios. Não por ter uma trama fantástica, mas sim pelos valores incutidos nela. Scott Westerfeld levanta uma discussão muito atual e faz da série um ótimo ponto de reflexão para os jovens leitores – não só para os jovens, mas principalmente. Digo a série, pois Perfeitos segue o mesmo caminho. E este segundo livro é ainda mais “filosófico” – se é que posso dizer assim – do que o primeiro. Se em Feios a trama é permeada principalmente pela busca da beleza ideal e da degradação da natureza, em Perfeitos a massificação intelectual e a relação de divindade são temas interessantíssimos. Borbulhante é o grande termo do livro. Juro que eu ia tentar explicar aqui o significado de ser, ou estar, borbulhante, mas percebi que essa é uma das grandes sacadas do livro, e que talvez seja mais interessante a percepção que vocês terão durante a leitura. Mas apesar de tudo, – e…

Jogos Vorazes
Ficção / 27 de setembro de 2010

Vamos lá. Difícil falar do livro que vem sendo tratado na blogosfera literária com tanta adoração. Minha expectativa era grande. Comprei-o logo após ler as resenhas da Pâm e da Julianna . O burburinho foi grande e eu fiquei muito curioso. Costumo sempre me decepcionar com livros dos quais elevo a expectativa. Com Jogos Vorazes não cheguei a tal ponto, mas não foi, para mim, o grande livro que eu esperava. Antes que as meninas me excluam da sua blogroll, aviso: o livro é muito bom. Só não achei merecedor de todas as estrelas do céu (o Enderson vai adorar essa sacada…). Sei que o livro faz parte de uma trilogia, mas o que mais me deixou frustrado, foi o final mais romântico do que Sci-Fi. É claro que um clima anárquico deve surgir em algum momento de Catching Fire ou de Mockingjay, mas esperava mais revolta dos personagens diante da crueldade a que são submetidos. A história se passa na nação chamada Panem, fundada após o fim da América do Norte. Formada por 12 distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital, sede do governo. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país…

Feios
Ficção / 10 de maio de 2010

Confesso que estava sentindo falta de uma ficção científica nesse estilo. Sou fã de clássicos como Admirável Mundo Novo, 1984, Eu Robô… Feios é um daqueles livros que te faz pensar em como algumas escolhas que fazemos podem chegar um dia a um nível impensado, mas possível. A resenha publicada na Livraria da Folha, classifica o livro como “um casamento entre 1984, de George Orwell, e Diário da Princesa, de Meg Cabot”. Apesar de parecer esdrúxulo, acredito que seja bem por aí mesmo. Não li nenhum livro da série O Diário da Princesa, mas a abordagem jovem dada a história torna-o um provável sucesso juvenil.Mas, de forma alguma, o livro se restringe a ser apenas mais um sucesso teen. Não que um livro erigido a sucesso teen não tenha qualidades, pelo contrário, muitos são fantásticos. Mas o pano de fundo de Feios é o que chama a atenção, e promete fazer algumas cabecinhas entrarem nos eixos. Em um mundo de perfeição, o normal é feio. Tendo como mote a surreal popularidade das cirurgias plásticas entre jovens, o autor cria um universo onde, ao completarem 16 anos, as pessoas são submetidos a uma série de cirurgias plásticas a fim de torná-las…