O Terceiro Testamento
Destaque , Ficção Científica / 16 de maio de 2017

Nossa inteligência é uma ameaça evolucionária, e não uma vantagem. A frase acima pode ser considerada o grande mote de O Terceiro Testamento. Nele, Christopher Galt (pseudônimo do autor britânico Craig Russel) traz à tona uma interessante discussão sobre consciência (humana e artificial) nos conduzindo a uma reflexão sobre a vida, sobre a nossa existência, nossas certezas e incertezas. O livro tem um início muito bom, nos prendendo com acontecimentos curiosos como o caso da adolescente francesa que presencia, nos dias atuais, Joana D’Arc sendo queimada na fogueira e tenta registrar a cena com o seu smartphone. A trama se desenvolve apresentando mais alguns acontecimentos bizarros e leva a crer que o mundo está enlouquecendo, pois em toda parte as pessoas começam a ter esse tipo de visão após estranhas sensações de déjà vu. Apesar das diversas conjecturas apresentadas ninguém sabe se esses eventos são causados por um vírus ou se são visões enviadas de Deus, como acreditam os líderes religiosos e fanáticos ao redor do mundo. Mas não se engane, O Terceiro Testamento não é apenas uma discussão sobre o eterno antagonismo religião versus ciência, é um livro e sobre os caminhos que a nossa sociedade tomou e suas…

Admirável Mundo Novo
Ficção Científica / 13 de abril de 2010

Escrito por Aldous Huxley em 1932 , Admirável Mundo Novo projeta um tipo de sociedade àquela época virtual, onde o domínio quase integral das técnicas e do saber científico produz uma sociedade totalitária e desumanizada. Imaginemos uma sociedade onde desde o berço, os homens são condicionados a obedecer certos padrões, fazendo as pessoas amarem o seu destino social e dele não poderem escapar. Uma sociedade onde família, sentimento, espiritualidade, velhice tornam-se valores ultrapassados; a reprodução da espécie se dá em laboratórios e a palavra “mãe” torna-se obscena; os seres são classificados em castas pré-organizadas, onde cada casta tem sua função específica e única; a liberdade inexiste, todas as atividades desenvolvidas foram pré-condicionadas; preserva-se o corpo de tal maneira que aos sessenta anos todos ainda têm uma aparência jovial; a felicidade se dá à base de sedativos, pois em qualquer momento de distração todos se sentem desviantes da norma e se entregam ao “Soma”; e o consumo sem limite, constituíam o modelo ideal de organização humana. Nessa sociedade, deparamo-nos com uma atitude onde o trabalho deixa de ser uma atividade cansativa e chata. Os indivíduos sentem-se felizes e satisfeitos com suas funções, pois devido aos condicionamentos sofridos, no seu ambiente de…