O Terceiro Testamento

16 de maio de 2017, por

Resumo

Título:

O Terceiro Testamento (The Third Testament)

Autor:

Christopher Galt

Editora:

Jangada

Páginas:

414

Publicação:

2017

ISBN:

9788555390760

Preço:

R$ 44,00

Avaliação:

Nossa inteligência é uma ameaça evolucionária, e não uma vantagem.

A frase acima pode ser considerada o grande mote de O Terceiro Testamento. Nele, Christopher Galt (pseudônimo do autor britânico Craig Russel) traz à tona uma interessante discussão sobre consciência (humana e artificial) nos conduzindo a uma reflexão sobre a vida, sobre a nossa existência, nossas certezas e incertezas.

O livro tem um início muito bom, nos prendendo com acontecimentos curiosos como o caso da adolescente francesa que presencia, nos dias atuais, Joana D’Arc sendo queimada na fogueira e tenta registrar a cena com o seu smartphone. A trama se desenvolve apresentando mais alguns acontecimentos bizarros e leva a crer que o mundo está enlouquecendo, pois em toda parte as pessoas começam a ter esse tipo de visão após estranhas sensações de déjà vu. Apesar das diversas conjecturas apresentadas ninguém sabe se esses eventos são causados por um vírus ou se são visões enviadas de Deus, como acreditam os líderes religiosos e fanáticos ao redor do mundo.

Mas não se engane, O Terceiro Testamento não é apenas uma discussão sobre o eterno antagonismo religião versus ciência, é um livro e sobre os caminhos que a nossa sociedade tomou e suas possíveis consequências. Nos faz pensar a fundo para onde vamos, de onde viemos e, principalmente, onde estamos.

É nesse contexto que se encontra John Macbeth, um psiquiatra envolvido em um dos vários projetos ao redor do globo que procuram levar a consciência um passo adiante, investindo em inteligência artificial com auto-consciência numa época em que a ciência parece estar pronta para desvendar os grandes segredos do universo. Isso antes de começarem a acontecer as visões, relatos de casos cada vez mais estranhos, suicídios, e eventos maiores compartilhados por cidades inteiras.

E se eu existir apenas na mente de vocês? … Nunca lhes ocorreu que tudo e todos ao redor estão dentro de sua mente? Como sabiam que eu me encontrava aqui antes de entrarem no quarto? … Sei que não existo, e [as outras pessoas] já suspeitaram disso pelo menos uma vez na vida, questionando a realidade de si mesmas ou do mundo.

Com uma narrativa esplendida, intercalando os acontecimentos entre as loucas experiências de personagens diferentes, Christopher Galt cria um universo provável fácil de imaginar, daqueles que quem curte Matrix não vai se arrepender de conhecer. Com intrincadas discussões sobre psiquiatria, psicologia e física quântica, tudo o que sabemos, vivenciamos, acreditamos e que apontamos como verdade parece se despedaçar neste livro. Ao transpor suas páginas, cada vez mais temos a impressão de que qualquer coisa pode acontecer em O Terceiro Testamento, e de fato acontece. Galt é capaz de nos guiar através das experiências mais absurdas possíveis, sempre com a maestria e a profundidade nos personagens, dos principais aos secundários, que poucos são capazes de criar.

Além disso, o livro é genial ao não oferecer muitas respostas à diversos temas e/ou discussões que levanta (afinal, realmente não temos muitas respostas para diversos deles), a sua grande sacada é nos fazer questionar a nossa própria realidade (e a nossa própria sanidade).

A realidade é mera ilusão, embora persiste. – Albert Einstein

Comprei o livro ao acaso, numa das minhas idas e vindas à livraria, fisgado pela chamada provocativa. Sem muito glamour e badalação, vi muito pouco se falar sobre o título nas buscas posteriores e torço para que a Editora Jangada consiga promovê-lo ao patamar onde merece estar. Provocativo, inteligente e arrebatador, O Terceiro Testamento é um thriller apocalíptico com argumento e narrativa brilhantes e um final daqueles capaz de aniquilar todas as nossas certezas. É, sem dúvidas, um dos grandes livros do gênero.

Nenhum Comentário Ainda

Deixe seu comentário!